E-RN 800x105

Policia Civil de Angicos alerta para aumento de casos de agress√Ķes contra mulheres nas cidades de sua jurisdi√ß√£o

Por Rogério Magno em 25/02/2021 às 14:42:52

Utilizando a sua p√°gina oficial na rede social Facebook os Policiais Civis que servem na Delegacia Municipal de Policia Civil de Angicos, que além da cidade sede ainda reponde pelas cidades de Pedro Avelino, Afonso Bezerra e Fernando Pedrosa demonstram sua preocupa√ß√£o quanto ao aumento de casos de registro de ocorr√™ncias decorrentes da Lei n¬ļ 11.340/06 (Lei Maria da Penha), agress√Ķes estas praticadas contra mulheres.

A indigna√ß√£o dos policiais civis enquanto autoridades é muito plaus√≠vel e reflete a indigna√ß√£o da maioria esmagadora da sociedade civil organizada.

A nota da PC também deixa claro que o órg√£o de seguran√ßa p√ļblica n√£o vem sido omisso, e quando s√£o procurados pelas v√≠timas os agentes de seguran√ßa t√™m agido conforme a lei para combater tais agress√Ķes f√≠sicas ou psicológicas cometidas contra as mulheres residentes nestas cidades mencionadas.

Acompanhem na integra o texto produzido e publicado via Facebook da instituição Policia Civil no que tange a Delegacia Municipal de Policia Civil responsável pela jurisdição nas cidades de Angicos, Pedro Avelino, Afonso Bezerra e Fernando Pedrosa:

A Delegacia Sede da Pol√≠cia Civil de Angicos, que ainda reponde por outros tr√™s Munic√≠pios, quais sejam: (Afonso Bezerra, Pedro Avelino e Fernando Pedroza), tem observado o aumento nas ocorr√™ncias decorrentes da Lei n¬ļ 11.340/06 (Lei Maria da Penha).

As les√Ķes corporais e amea√ßas f√≠sicas e psicológicas tem liderado a procura das v√≠timas em contexto de viol√™ncia doméstica e familiar.

A Delegacia de Angicos tem remetido procedimentos semanalmente garantindo através das Medidas Protetivas de Urg√™ncia o afastamento do lar, da figura do agressor.

A Medida Protetiva de Urgência, deferida pelo Judiciário com Parecer do Promotor de Justiça, não isenta o agressor de responder ao processo e no final receber a condenação devida pelos crimes cometidos.

Alertamos que na maioria dos casos, o agressor estar alcoolizado, chegando a desrespeitar sua fam√≠lia e principalmente sua companheira com agress√Ķes f√≠sicas e psicológicas, além das amea√ßas desnecess√°rias.

Estamos vigilantes e independente do tempo que levar o processo, uma hora a justiça bate na porta do agressor e cobra pelos crimes cometidos.

Respeitar os direitos fundamentais da mulher é o m√≠nimo que o companheiro pode fazer. Se for beber n√£o use da viol√™ncia, pois seus atos ser√£o cobrados pela Pol√≠cia Judici√°rio, Ministério P√ļblico e Justi√ßa.

RESPEITAR A MULHER É O M√ćNIMO QUE VOC√ä COMPANHEIRO PODE FAZER.

Fonte: P√°gina do Facebook da Policia Civil de Angicos

Comunicar erro
Jota Edilson

Coment√°rios