Com alta de casos de Covid-19, prefeitura de Carnaubais decreta 'lockdown' de 10 dias no Oeste potiguar

Por Rogério Magno em 06/05/2021 às 13:23:52
Decreto vai valer desta sexta-feira (7) até 17 de maio e proíbe circulação de pessoas no município, a não ser para serviços considerados essenciais. O município de Carnaubais decretou "lockdown" de 10 dias, com fechamento de comércio e proibição de circulação de pessoas, na cidade Oeste potiguar, a partir desta sexta-feira (7). Segundo a prefeitura, a medida é uma tentativa para barrar a alta de casos e mortes por Covid-19.

A cidade é a segunda na região Oeste potiguar, a decretar o isolamento social rígido, com funcionamento apenas de serviços essenciais. Em Caraúbas, a medida passou a valer dia 1º de maio e segue até a próxima segunda (10).

Em Carnaubais, o decreto determina fechamento de comércios e proibição da circulação de pessoas até o dia 17 de maio. Segundo a secretária de Saúde, Marlizia Veras, o município vinha seguindo os decretos estaduais e até aumentou o toque de recolher na semana passada, mas a alta de casos levou a gestão a optar pelo novo decreto.

78 cidades do RN têm piora nos indicadores da Covid-19 e 84% da população potiguar está em área de alerta, diz Secretaria de Saúde

Mortes e casos de Covid nas cidades do Rio Grande do Norte

Monte das Gameleiras aumenta toque de recolher e determina fechamento de hotéis, bares e conveniências

Somente em abril, o município registrou 180 casos de Covid-19 e três óbitos em um intervalo de 13 dias - a quantidade mais alta desde o início da pandemia. Até então, o mês com mais casos tinha sido março, com 69 pessoas com diagnóstico positivo para a doença.

"Estamos atualmente com 139 pessoas em tratamento por Covid-19. Até dia 25 de março, eram 26 pessoas aqui no município. No início do ano tínhamos cinco mortes pela doença e agora estamos com 11. O município é pequeno, com cerca de 10,8 mil habitantes e não tem uma grande estrutura hospitalar", afirmou a secretária de Saúde do município Marlizia Veras.

Apenas serviços essenciais poderão funcionar, seguindo uma série de exigências de distanciamento, como atendimento de apenas uma pessoa por núcleo familiar e distanciamento mínimo de 1,5 metro.

"O decreto rege o lockdown no município e vai passar a valer a partir da meia noite. Nós pedimos apoio do estado junto com as forças de segurança e iremos cumprir o lockdown com medidas bem restritivas, com organização do comércio essencial e circulação de pessoas na cidade. Tudo isso para diminuir o número de casos", afirmou.

As pessoas que precisarem sair para ir aos serviços considerados essenciais deverão apresentar documento que comprovem a necessidade do deslocamento, segundo a prefeitura. A venda de bebidas alcoólicas fica proibida no município e até a exibição dos produtos em prateleiras não está autorizada.

Aulas, indústrias, igrejas, restaurantes e comércio em geral não poderão funcionar com atividades presenciais. Até mesmo a entrada e saída de pessoas na cidade ficará limitada.

São considerados essenciais no município

serviços públicos essenciais (como saúde e segurança)

serviços relacionados à saúde, incluídos os serviços médicos, hospitalares, atividades de podologia, entre outros;

farmácias, drogarias e similares, bem como lojas de artigos médicos e ortopédicos;

supermercados, mercados, padarias e demais estabelecimentos voltados ao abastecimento alimentar, vedada a consumação no local;

serviços funerários;

petshops, hospitais e clínicas veterinária;

serviços de imprensa e veiculação de informação jornalística;

atividades de representação judicial e extrajudicial, bem como assessoria e consultoria jurídicas e contábeis;

oficinas, serviços de locação e lojas de autopeças referentes a veículos automotores e máquinas, apenas para atendimento de veículos em serviço no cumprimento das medidas contidas neste Decreto;

postos de combustíveis e distribuição de gás;

serviços de telecomunicações e de internet, tecnologia da informação e de processamento de dados;

serviços de manutenção em refrigeração e demais equipamentos;

serviço de apoio para realização de transmissão on line de atividades religiosas;

serviços de cuidadores de idosos;

atividade agropecuária;

Instituições bancárias, inclusive salas de autoatendimento, casas lotéricas, correspondentes bancários e similares.

O município afirma que a fiscalização vai funcionar primeiramente de forma educativa, porém poderão ser aplicadas multa diária de R$ 500,00 para empresas e de R$ 200,00 para pessoas que descumprirem as normas, e o valor deverá ser duplicado a cada reincidência. Estabelecimentos também podem sofrer embargos ou interdição.

Fonte: G1

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários