GOVERNO DO RN 2

A um mês do Enem, professores falam sobre uso de redes sociais

Redes sociais na pandemiaO estudo Digital 2021: Global Overview Report, da Hootsuite e We are Social, mostra que somente no último ano as redes sociais ganharam meio...

Por Rogério Magno em 21/10/2021 às 10:03:39

Redes sociais na pandemia

O estudo Digital 2021: Global Overview Report, da Hootsuite e We are Social, mostra que somente no último ano as redes sociais ganharam meio milh√£o de novos usu√°rios em todo o mundo, o que representou um crescimento de mais de 13%. Agora, s√£o 4,2 bilh√Ķes de pessoas conectadas, o que representa 53% de toda a popula√ß√£o mundial.

O Brasil est√° entre os países que mais usam redes sociais no mundo, ocupando o terceiro lugar no ranking, depois das Filipinas e da Colômbia. Os usu√°rios brasileiros passam, em média, 3 horas e 42 minutos nas redes sociais por dia - tempo acima da média mundial de 2 horas e 25 minutos.

“N√£o é um fenômeno de agora, mas com a pandemia o uso das redes sociais foi potencializado por causa desse período remoto, que fez com que muitos alunos, que n√£o tinham o h√°bito de navegar na rede passassem a buscar mais informa√ß√Ķes e a acessar mais. Os professores que antes n√£o postavam passaram a postar”, diz o professor de química dos colégios Santo Agostinho e S√£o Bento, no Rio de Janeiro, e também criador do canal Química Nota Dez, Silvio Predis.

Mais conteúdo na rede exige, no entanto, mais cuidado. Segundo o professor, é preciso buscar informa√ß√Ķes sobre quem est√° divulgando esse conteúdo, se é algum professor, se tem boa forma√ß√£o e, se possível, perguntar na escola ou no cursinho, a professores de confian√ßa, se determinado perfil é indicado. "H√° conteúdos com uma qualidade muito alta e conteúdos com v√°rios erros”, diz.

Maior alcance

As redes sociais ajudaram a professora de reda√ß√£o e fundadora do Marka Texto Reda√ß√£o e Linguagens, Letícia Lima, a chegar a diversas partes do Brasil. Os vídeos que posta no Instagram e Tiktok, com dicas para a reda√ß√£o do Enem, corre√ß√£o de provas e mesmo com erros cometidos pelos estudantes, têm centenas de milhares de reprodu√ß√Ķes e curtidas.

“Para segurar o jovem hoje em dia tem que ser r√°pido. Tudo é distra√ß√£o para eles. Tem que ter humor, estar antenado com memes, com o que est√° em alta, o que é engra√ßado. A gente se baseia muito nisso”, afirma.

Porém, além de divertir e informar, as redes sociais podem também ser ambientes muito tóxicos, de acordo com a professora. “Existem muitos perfis que projetam uma ideia de rotina de estudo que é impratic√°vel e inalcan√ß√°vel. Essa compara√ß√£o [com outras pessoas] pode minar a saúde mental do estudante”, diz. Ela aconselha os alunos a focarem, nesta reta final, na resolu√ß√£o de quest√Ķes de provas anteriores, na revis√£o de conteúdos. A familiaridade com a prova, segundo ela, conta muito no Enem.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
Jota Edilson

Coment√°rios