GOVERNO DO RN 2

Tribunal declara ex-sócio de advogado de Trump culpado por financiamento ilegal de campanha

Por Rogerio Magno em 23/10/2021 às 03:54:12
Lev Parnas foi acusado de esconder origem de doações que fez nas eleições de 2018, inclusive US$ 325 mil à America First Action, organização política que apoia o ex-presidente americano. O empresário ucraniano-americano Lev Parnas deixa tribunal em Manhattan, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, em 22 de outubro de 2021 após ser considerado culpado por financiamento ilegal de campanha

Carlo Allegri/Reuters

Lev Parnas, antigo sócio de Rudy Giuliani, ex-advogado de Donald Trump, foi declarado culpado em um tribunal federal dos Estados Unidos nesta sexta-feira (22), por ter violado as leis de financiamento de campanha na eleição de 2018.

Parnas, cidadão americano nascido na Ucrânia, foi preso em um aeroporto de Washington em outubro de 2019, quando Trump e seus sócios, entre eles Giuliani, enfrentavam um escrutínio por suas tentativas de pressionar autoridades em Kiev a revelar informações comprometedoras sobre Joe Biden.

Essa investigação levou ao primeiro processo de impeachment contra Trump, concluído com a sua absolvição pelo Senado, controlado pelos republicanos.

Leia também

Trump anuncia planos para lançar nova rede social, a 'TRUTH Social'

Trump ataca Powell após a morte do ex-secretário de Estado dos EUA

Nesta sexta-feira, um júri federal em um tribunal de Manhattan determinou que Parnas e seu parceiro Andrey Kukushkin "conspiraram para manipular o sistema político dos Estados Unidos em seu próprio benefício econômico", segundo um comunicado dos promotores.

"Para ganhar influência com os políticos e candidatos americanos, eles canalizaram ilegalmente dinheiro estrangeiro para as eleições de meio de mandato de 2018, com o objetivo de obter enormes lucros no negócio da cannabis."

Parnas, que se declarou inocente, foi acusado de esconder a verdadeira origem das contribuições que fez a candidatos nas eleições locais e federais de 2018, incluindo uma doação de US$ 325 mil à America First Action, organização política que apoia Trump.

Os promotores também acusaram Parnas de mascarar como suas algumas das contribuições para campanhas republicanas no estado de Nevada feitas por um empresário russo, violando a proibição de aceitar financiamento eleitoral de cidadãos estrangeiros.

Parnas e Kukushkin permaneceram em liberdade nesta sexta-feira, aguardando o anúncio da sentença.

Trump pede à Justiça reativação da conta no Twitter

Fonte: G1

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários