GOVERNO DO RN 2

Virufy: aplicativo usa som da tosse para detectar Covid-19

Por Rogerio Magno em 30/11/2021 às 06:13:09

Com o surgimento de novas variantes do vírus da Covid-19, alguns deles, inclusive, com a capacidade de escapar da proteção das vacinas, a detecção rápida de novos casos fica cada vez mais importante. Com isso em mente, a organização internacional Virufy está criando um algoritmo de diagnóstico da doença.

Os pesquisadores criaram um algoritmo baseado em aprendizado de máquina com milhares de áudios de tosses de pessoas da América Latina, Europa e Ásia. O objetivo é distinguir os sons de tosse provocados pelo vírus da Covid-19 para detectar casos positivos e negativos.

Precisão de 80%

De acordo com os pesquisadores, o algoritmo teve precisão de 80% na detecção da Covid-19 com base na tosse da pessoa examinada. O exame é feito por meio de um aplicativo para smartphone que, segundo os pesquisadores, detecta rapidamente se uma pessoa está com Covid-19 com base na análise da tosse.

A equipe de pesquisa é composta por mais de 50 pesquisadores de 25 universidades de 20 países diferentes. Participam do desenvolvimento do aplicativo pessoas da Inglaterra, Estados Unidos, Japão, México, Colômbia, Peru, Argentina e aqui do Brasil.

Por aqui, o projeto está dividido em duas fases: a primeira é a coleta de tosses de pessoas que apresentaram sintomas semelhantes aos da Covid-19. Os voluntários devem gravar as amostras no site virufy.org/app. Essas gravações têm a função de treinar o algoritmo para os padrões de tosse dos brasileiros.

Testes em pacientes reais

Fachada do Hospital Regional de Joinville
Equipe pretende coletar mais de 2000 amostras de pacientes do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, em Joinville. Crédito: Governo de Santa Catarina/Divulgação

A etapa seguinte consiste em aplicar o algoritmo em uma pesquisa com pacientes reais, tanto que testaram negativo, quanto que testaram positivo. A coleta será realizada em um hospital da cidade de Joinville, em Santa Catarina, com pacientes que forem realizar exames de PCR, posteriormente, os dados serão cruzados.

Segundo o fisiologista Diego Carvalho, o Virufy pretende fazer parcerias com mais uma série de hospitais universitários na Paraíba, Santa Catarina e São Paulo para expandir a realização de testes clínicos. A ideia é chegar a uma taxa de precisão acima de 85%.

Leia mais:

Porém, é importante ressaltar que o Virufy não substitui o diagnóstico hospitalar e deve ser usado em conjunto com exames PCR, verificação de temperatura e isolamento social em casos suspeitos de Covid-19.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Fonte: Olhar Digital

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários