TerraBit Tec

Material escolar está 18% mais caro, segundo Procon

Por Rogerio Magno em 21/01/2022 às 07:41:34

Pesquisa do Procon Natal constatou que o preço do material escolar teve um aumento de em média de 18% em relação ao mesmo período do ano passado. Outra constatação da pesquisa é de que muitos itens têm preços mais acessíveis em lojas de atacado. O levantamento foi realizado nas primeiras semanas do ano.

Foram pesquisadas 15 quinze papelarias, 4 comércios atacadistas de material escolar e duas lojas de departamentos na cidade do Natal, selecionadas entre as maiores e mais tradicionais do mercado, nos bairros do Alecrim, Centro, Tirol, Cidade da Esperança, Candelária e Lagoa Nova. A pesquisa foi realizada entre os dias 03 e 17 de janeiro de 2022, com a equipe de pesquisadores do Núcleo de pesquisa do Procon.

Em média, os custos dos itens pesquisados de material escolar nesse ano foi de R$ 202,00 enquanto que na pesquisa anterior foi de R$ 165,25, em dezembro de 2020. A variação foi identificada em 65% dos itens pesquisados de um ano para o outro, ou seja, 26 itens da pesquisa tiveram reajuste de preço em média em relação à pesquisa anterior. Em destaque, o esquadro plástico transparente de 16 cm. O preço atual, em média, é R$ 2,79 e na pesquisa anterior o preço médio dele foi encontrado a R$ 1,37. Isso representa uma variação de 51%, ou seja, um aumento em reais de R$ 1,42.

Os estabelecimentos com maior variedade de produtos encontrados foram a Braskendy papelaria na cidade da esperança com 97,5% e as Papelarias Nacional e Confiança, no bairro do Alecrim, ambas com 95% de produtos encontrados da lista de produtos. A Iskisita do Alecrim e do Shopping Via Direta com 90% e 82,5% respectivamente, como também a Casa Norte com 80%, foram os estabelecimentos com maior variedades encontrada pelos pesquisadores no seguimento atacado.

Os dados mostram que em apenas 22,5% dos itens da cesta de produtos pesquisados pelo Procon há vantagem de se fazer a aquisição nas papelarias. É o caso do caderno de desenho grande espiral com 96 folhas, que nas papelarias o preço médio foi de R$ 6,35, e nos estabelecimentos de venda em atacado o preço médio encontrado foi de R$ 8,64, e isso representa uma variação de 26,46%. O preço médio desse item em todos os estabelecimentos foi de R$ 6,81.

Para os pais ou responsáveis que desejam pesquisar e economizar, a opção são os estabelecimentos de atacado, uma vez que os dados analisados mostram que a vantagem chega a 133,92%. É o caso da cola bastão onde nas papelarias o preço médio encontrado foi de R$ 2,37, nos comércio de atacado o preço médio desse item foi de R$ 1,02, ou seja, uma economia de R$ 1,35 centavos.

Pais e responsáveis relatam dificuldades
Sílvia Pinheiro esteve na Loja do Estudante no bairro Tirol para comprar o material escolar de seus dois filhos, Rodrigo e Alice. "Ele está no nono ano e Alice está no quarto do ensino fundamental. Senti um aumento nos preços mas todo ano tem esse reajuste. Até procuro comprar logo que sai a lista de materiais em novembro porque sei que quando vira o ano isso vai acontecer. Dezembro foi muito cheio e terminei deixando para agora e já sinto essa diferença. Geralmente, resolvo tudo nessa loja ou na Câmara Cascudo porque eles dão um bom desconto e facilitam a compra. Gosto de prestigiar o comércio local, sei que as lojas sofrem muito com as vendas na internet então prefiro apoiar", comenta.

"Temos alguns itens que registram até 30% de aumento e quando chega para o consumidor final entendemos que é assustador. Temos várias opções: se os pais quiserem um preço mais em conta vão encontrar aqui e se os pais quiserem uma marca melhor também temos. Estamos trazendo material que atenda todos os públicos mas realmente com um aumento expressivo devido ao mercado. Infelizmente, é uma falta de insumo no mundo", explica a gerente.


Fonte: Tribuna do Norte

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários