TerraBit Tec

Carlos Eduardo sobre ultimato de Rogério Marinho: "Não vou falar agora"

Enquanto ex-prefeito se cala, nos bastidores , cogita-se a possibilidade dele e de Benes formarem chapa majoritária

Por Rogerio Magno em 26/01/2022 às 08:25:50

Mesmo diante do ultimato do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (PL) e das articulações políticas feitas pelo prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) e o ex-ministro Henrique Alves (MDB), para fazer o presidente do PDT no Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo Alves, ser o candidato da oposição para enfrentar Fátima Bezerra na disputa pelo governo, o pedetista têm preferido o silêncio. Quando, raramente, resolve se pronunciar, é para prolongar o tempo do mistério que gira em torno da definição de sua pré-candidatura a um cargo eletivo.

Procurado pela reportagem do AGORA RN nesta terça-feira 25, para que comentasse sobre as falas de Rogério Marinho e para dar mais detalhes sobre uma possível definição de candidatura contra a governadora, o ex-prefeito de Natal limitou-se a dizer: "Não vou falar agora. Chegará o momento", disse. Questionado mais uma vez, Carlos Eduardo Alves foi enfático: "só falarei mais adiante. Agora, não", finalizou a conversa.

Enquanto isso, nos bastidores da política potiguar, cogita-se a possibilidade de que ele, em junto com o deputado federal Benes Leocádio (Republicanos), formem uma chapa majoritária para enfrentar a tentativa de reeleição da governadora Fátima. Os possíveis diálogos estão sendo conduzidos por Álvaro Dias e Henrique Alves e, a possível chapa incluiria o ministro Rogério Marinho para o Senado, o ex-ministro Henrique Alves para a Câmara Federal e Adjuto Dias, filho de Álvaro, para a Assembleia Legislativa.

Em recente entrevista, o ministro Rogério Marinho, cobrou uma posição e maior "nitidez" por parte do líder do PDT no Estado. "É necessário que haja uma maior nitidez por parte de Carlos Eduardo, até porque o eleitorado do nosso Estado está desacreditando a política. O político tem que se mostrar. Tem que ser por inteiro. A população precisa entender, perceber e saber como o político se comporta (e quais seus posicionamentos)", propôs Rogério.

Tentativas em vão

Desde agosto do ano passado, o ex-prefeito tem economizado nas palavras. A reportagem do AGORA RN vem tentando conversar desde então, mas, sempre recebemos mensagens evasivas como, "Olá! Estou indo amanhã cedo para o interior e só volto no final de semana. Fica para a próxima semana. Obrigado".

Ou então, "Estou de repouso por recomendação médica. Por favor, deixe para mais adiante". E ainda: "Saudações. Me desculpe, mas não vou dar entrevista este mês. Não acho que devo falar agora. Obrigado pelo seu interesse".

Fonte: Portal Agora RN

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários