TerraBit Tec

Exportações do RN recuam em julho, mas acumulam alta de 132,3% no ano

Por Rogerio Magno em 04/08/2022 às 06:06:37
Foto: Adriano Abreu

Foto: Adriano Abreu

Com uma movimentação total de US$ 85,4 milhões em produtos vendidos para o exterior, o Rio Grande do Norte apresentou queda de 36,26% nas exportações no mês de julho deste ano. No comparativo com o mesmo período de 2021, constata-se uma alta de 193,9%. As importações também reduziram ante o volume de junho, caindo de US$ 27,7 milhões para US$ 18,1 milhões, uma queda de 34,65%. Com isso, a balança comercial fechou o mês passado com superávit de US$ 67,3 milhões, um valor 37,10% menor que o registrado em junho (US$ 107 milhões). Ante junho de 2021, quando o saldo ficou em US$ 11,2 milhões, houve crescimento superior a 500%. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia.

O levantamento mostra que no acumulado de janeiro a julho deste ano, as exportações somaram US$ 494,1 milhões e cresceram 132,3% no comparativo com o mesmo período do ano passado, quando totalizou US$ 213 milhões. Já as importações somaram US$ 207,5 milhões, com crescimento de 17,4% em relação a igual período de 2021. Esse resultado aponta para um saldo de US$ 286,6 milhões no somatório de janeiro a julho, uma alta de 696,11% ante o valor do mesmo período do ano passado (US$ 36 milhões).

No acumulado do semestre, o Rio Grande do Norte tem participação de 0,3% nas exportações nacionais, ocupando a 20ª posição dentre os estados brasileiros em vendas para o exterior. No recorte do acumulado neste ano, os combustíveis são os maiores responsáveis pela alta – equivalem a 62% das exportações totais, somando US$ 309 milhões exportados. Esse valor é 315,6% maior no comparativo com mesmo período do ano passado, com uma variação a mais de US$ 234 milhões. Em seguida, vêm as frutas frescas e nozes (12% das exportações e US$ 60,8 milhões exportados), com crescimento de 16,7 ante igual período de 2021. Depois, aparecem os produtos da indústria de transformação (3,9% e US$ 19,3 milhões) e os tecidos e telas (3,7% e US$ 18,1 milhões).

Minerais em estado bruto correspondem a 3,1% com US$ 15,4 milhões em exportações; o pescado inteiro representa 2,8% com US$ 14 milhões exportados, e matéria bruta de animais que soma US$ 12 milhões, representando 2,4%; açúcares e melaços contribuíram com 2% (US$ 9,74 milhões), e pedras preciosas com 2,1% das exportações potiguares no semestre (US$ 10,5 milhões), seguidas de filés e outras carnes de peixes (1,5% e US$ 7,33 milhões), chapas, folhas e películas (1,4% e US$ 6,71 milhões).

Perfil das importações

As importações no Estado também apresentam crescimento no acumulado de 2022 e os destaques são para o trigo e centeio moído que representam 23% das importações, comando US$ 47,6 milhões importados de janeiro a julho, uma alta de 57,2% ante mesmo período do ano passado, com acréscimo de US$ 17,3 milhões. Os geradores elétricos são o segundo maior item importado pelo Rio Grande do Norte (19% e US$ 40,1 milhões, com queda de 12% ante igual período de 2021) e, em terceiro, vêm as válvulas e tubos (16% e US$ 33,1 milhões, com alta de 2,04%).

Ainda nas importações, destaque para produtos da indústria de transformação, que representam 3,8% e somaram US$ 7,82 milhões (com queda de 69% no comparativo com janeiro e julho de 2021); adubos e fertilizantes químicos (3,3% e US$ 6,88 milhões, com alta de 17,5%). Os polímeros de etileno representaram 3,3% nas compras, somando US$ 6,86 milhões (+2,9%) e os produtos residuais de petróleo (2,4% e US$ 4,90 milhões);

Países

Singapura, Estados Unidos, Holanda, Espanha, Reino Unido e Gana são os principais mercados para onde vão os produtos potiguares. Segundo os dados da Secex, 62% das exportações concentram-se em Singapura. Para esse país, o RN exportou US$ 306 milhões de janeiro a julho deste ano. Já as vendas para os EUA representam 12% (US$ 56,9 milhões), enquanto as exportações para a Holanda correspondem a 4,2% (US$ 20,7 milhões) e para a Espanha, 3,5% (US$ 17,4 milhões). Reino Unido recebe 3% das mercadorias exportadas do Estado (US$ 14,6%) e Gana, 2% (US$ 9,82 milhões).

No caso das importações, o Estado recebe mercadorias em maior volume da China (46%, na soma de US$ 91,5 milhões), da Argentina (21% e US$ 43,1 milhões) e dos Estados Unidos (9,3% e US$ 19,3 milhões). Espanha (5,2% e US$ 10,8 milhões), Uruguai (3,6% e US$ 7,52 milhões), Alemanha (2,2% e US$ 4,6 milhões), Índia (1,8% e US$ 3,71 milhões) e Itália (1,6% e US$ 3,33 milhões) também compõem o nicho de mercados que mais vendem seus produtos ao Rio Grande do Norte.

Comportamento das exportações e importações do RN:
Período: Janeiro a julho de 2022

Exportações
2021: US$ 213 milhões
2022: US$ 494,1 milhões (+ 132,3%)

Importações
2021: US$ 177 milhões
2022: US$ 207,5 milhões (+17,4%)

Corrente de comércio
2021: US$ 389 milhões
2022: US$ 701,6 milhões (+80,2%)

Saldo
2021: US$ 36 milhões
2022: US$ 286,6 milhões (+696,11%)

Período: Julho de 2022

Exportações
2021: US$ 29,1 milhões
2022: US$ 85,4 milhões (+ 193,9%)

Importações
2021: US$ 17,9 milhões
2022: US$ 18,1 milhões (+1,5%)

Corrente de comércio
2021: US$ 46,9 milhões
2022: US$ 104 milhões (+120,7%)

Saldo
2021: US$ 11,2 milhões
2022: US$ 67,3 milhões (+500,89%)

Fonte: Tribuna do Norte

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários