cnrn

Deputadas querem punir Styvenson ap√≥s declara√ß√Ķes contra mulheres e presidente do Senado √© acionado

Senador do Rio Grande do Norte insinuou que mulher mereceu ser agredida

Por Rogério Magno em 29/07/2021 às 07:00:34

Após o senador do Rio Grande do Norte Styvenson Valentim (Podemos-RN) ter insinuado que uma mulher havia merecido ser agredida, a Secretaria da Mulher e a Procuradoria da Mulher da C√Ęmara dos Deputados pediram a apura√ß√£o da den√ļncia de viol√™ncia contra a mulher e viol√™ncia pol√≠tica de g√™nero por parte de Styvenson.

"A manifesta√ß√£o de Styvenson denota clara incita√ß√£o à viol√™ncia pol√≠tica de g√™nero e atenta contra a postura exigida a um parlamentar representante do povo", afirmou a deputada Tereza Nelma, procuradora da Mulher, no of√≠cio enviado a Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

Conforme noticiado no √ļltimo s√°bado, ao comentar o caso de uma mulher agredida por um policial, Valentim insinuou que as atitudes da v√≠tima podem ter feito que ela merecesse apanhar. "Pelo v√≠deo, estou vendo que ele est√° dando dois tapas na mulher.

Uns tapas bons. Mas sei lá o que essa mulher fez para merecer dois tapas. Será que ela estava calada, rezando o Pai Nosso? Eu não sei. Eu não sei", disse o senador em um vídeo numa rede social.

Nesta mesma live, o parlamentar também debochou das agress√Ķes sofridas e denunciadas à Pol√≠cia Legislativa por Joice Hasselmann.

Valentim acusou a deputada federal de ter cheirado cocaína e chegou a fazer menção a uma suposta traição conjugal.

O of√≠cio enviado ao presidente do Senado solicita que os episódios sejam apurados e que o senador seja responsabilizado. Nelma expôs que as falas de Valentim s√£o grav√≠ssimas e endossam e legitimam o crime de viol√™ncia contra a mulher, representando um ataque de um parlamentar contra todas as cidad√£s brasileiras.

"Esse tipo de agressão mostra a face da violência que as mulheres sofrem ao ingressar na política. Não recuaremos de continuar defendendo a autonomia e a representação política das mulheres nos parlamentos", afirmou a procuradora.

Fonte: Portal Agora RN

Comunicar erro
Jota Edilson

Coment√°rios