TerraBit Tec

Valor de mercado da Ford supera US$100 bilhões

Por Rogerio Magno em 13/01/2022 às 20:59:30

Nesta quinta-feira (13), o valor de mercado da Ford superou os US$100 bilhões, depois que a ação da segunda maior montadora dos Estados Unidos chegou ao pico na Bolsa de Nova York, com valorização de mais de 4%, totalizando 136% ao longo de 2021, marcas que não eram atingidas há duas décadas. Com isso, analistas preveem que a montadora terá uma forte performance no quarto trimestre deste ano, tendo uma boa competitividade nos preços das matérias-primas.

Influências favoráveis 

Além da boa reputação na Bolsa, a Ford também foi beneficiada pelo anúncio da Tesla sobre a retirada em seu site da previsão de início da produção em massa da picape elétrica Cybertruck, que poderá concorrer com a Ford Ranger. 

Outro cenário positivo foi o aumento do preço-alvo da ação da Ford no Deutsche Bank, passando de US$18 para US$24. A valorização foi um reflexo da previsão de que a empresa de automóveis continue se beneficiando do sucesso de sua linha de veículos elétricos. No fim da tarde, a ação estava cotada a US$25,19 dólares.

Leia mais:

ford super duty 2022 acelerando na estrada em um dia nublado
Veículos elétricos da Ford não ganharam força na produção nas unidades brasileiras, sendo um dos motivos da saída da montadora norte-americana do país; concorrência das asiáticas também pesou na decisão (Imagem: Divulgação/Ford)

 Distante do Brasil 

O bom cenário da Ford nos Estados Unidos é bem diferente da realidade existente no Brasil. A montadora cancelou a produção de carros, jipes e caminhonetes no país em 2021, após anúncio divulgado em 2019. 

Agora, os carros são importados da Argentina e do Uruguai. A saída causou a demissão de mais de 118 mil trabalhadores, com uma perda de massa salarial na ordem de R$2,5 bilhões ao ano.  

Entre os motivos que influenciaram na saída da montadora do país estão a redução nas vendas, custo Brasi, atraso na produção de veículos híbridos e elétricos e também em razão dos aplicativos de transporte compartilhado, sem falar na perda de espaço para as montadoras asiáticas, como Hyndai e Toyota. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Fonte: Olhar Digital

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários