Terra-Bit

Campi da Ufersa de Angicos e Caraúbas já tem novos diretores eleitos

Por Rogério Magno em 28/05/2020 às 15:52:25

O

s campi de Angicos e de Caraúbas escolheram os seus novos diretores que vão ficar a frente da administração das respectivas unidades pelos próximos 4 anos.

Em Angicos, a chapa única formada pelos professores Jacimara Villar Forboloni e Samuel Oliveira de Azevedo obteve 527 votos, sendo 65 de professores, 30 de técnicos e 432 de alunos. Já em Caraúbas, das três chapas que estavam concorrendo, a Chapa 1 formada pela professora Simone Maria da Rocha para diretora e pela técnica bibliotecária Dalvanira Brito Rodrigues foi a vencedora, obtendo 493 votos, sendo 17 de professores, 39 de técnicos e 437 de estudantes. Na soma ponderada normalizada, a Chapa vitoriosa dos Campus Caraúbas obteve 48,51% dos votos válidos. Com o resultado, a Ufersa faz história. Esta é a primeira vez que uma técnica administrativa é escolhida para um cargo de gestão de um campus.

A professora Jacimara e o professor Samuel, os novos diretores da Ufersa Angicos, comentaram sobre o momento:

Nosso lema: vamos juntos florescer tem o intuito de trazer a força e ao mesmo tempo delicadeza do semiárido. É preciso o cuidar, o dar tempo, o respeitar para que consigamos passar para um novo estágio de desenvolvimento. Com gestão participativa, transparência na comunicação e valorizando as pessoas. Queremos que as pessoas tenham vontade de estar em Angicos e orgulho de pertencer a Ufersa. Essa vitória possui muitas representatividades, como a garantia do direito de escolha, o respeito ao processo democrático e a confiança numa nova gestão.

A professora Simone e a bibliotecária Dalvanira também comentaram sobre a vitória na consulta de Caraúbas:

Consideramos que esta foi uma vitória coletiva, de todos que fazem parte da comunidade acadêmica, pois a chapa surgiu do diálogo entre diferentes categorias em torno de um ideal. É também uma vitória histórica, por termos duas mulheres, uma docente e uma técnica-administrativa, o que reflete o fortalecimento da paridade nas instituições públicas do país. O nosso plano de gestão também é um marco pois se concretizou a partir de uma construção plural, democrática, em debates com toda a comunidade, e sua apresentação aos discentes, docentes e técnicos foi igualmente dialógica.

Conforme posto em nosso plano de gestão, o que nos guia, e o que se deve esperar, é a defesa permanente da educação pública, gratuita e de qualidade para todos. Isso implica uma gestão comprometida com a ética, com a transparência, com a humanização das relações, com a qualidade de vida e com o crescimento pessoal e intelectual de todos que fazem o nosso campus. Queremos ampliar e dar continuidade a um campus que já é referência na educação, ciência e tecnologia em Caraúbas e região. Para tanto, estamos abertos ao diálogo com todos aqueles que quiserem somar ao projeto eleito, tendo sempre como base a valorização da Universidade pública.

A portaria com a nomeação dos novos diretores deve sair nesta segunda, dia 1º de junho.

SIGeleição – A novidade desta consulta é que ela foi realizada via plataforma eletrônica SIGEleição. Esse sistema já é utilizado com sucesso e segurança por outras universidades federais, a exemplo da UFRN, que criou o SIGEleição e que já vem usando há duas consultas seguidas. Cerca de 30 instituições do Brasil também usam o sistema. Nos campi de Angicos e Caraúbas, o SIGeleição funcionou perfeitamente e foi bastante elogiado pela comunidade. Esse mesmo sistema será usado para a consulta de reitor no próximo dia 15 de junho.

LIBERDADE DE ESCOLHA – A consulta para a escolha dos diretores dos Campi de Angicos e de Caraúbas foi uma decisão defendida desde o início pelo reitor da Ufersa, o professor José de Arimatea de Matos, que garantiu manter o processo para que a comunidade pudesse ser ouvida e ela mesmo escolhesse seus novos dirigentes. Pelo Artigo 8º da MP 914/2019, os reitores das universidades federais têm autonomia para escolher e nomear os diretores de campi, mas o Reitor Arimatea abriu mão dessa prerrogativa e deixou a própria comunidade dos campi da Ufersa fazer a sua escolha de forma paritária. "Essa é mais uma liberdade que eu, na posição de reitor, ofereço e garanto para as comunidades dos campi. Pela MP, poderíamos simplesmente ter nomeado os diretores, mas deixamos essa decisão para a comunidade. É o justo e o mais correto a se fazer", explicou o reitor Arimatea.

Essa decisão foi bastante aplaudida pelo Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior – SINTEST, que junto com a Assufersa, a Adufersa de Caraúbas e o DCE, organizou todo o processo de consulta desde o início com a formação de uma comissão técnica até o resultado final.

A coordenação local do SINTEST RN considera um grande avanço, em nível de estado, o fato da Ufersa ter optado em fazer esse tipo de consulta paritária para a escolha de diretor de campus, o que fortalece a democracia e a autonomia universitária. O Sindicato disse que almeja que os próximos reitores da Ufersa também tenham essa postura de democracia e de liberdade de escolha.

Comunicação Social - Ufersa

Jota Edilson

Comentários

GF AUTO CENTER