cnrn

Retorno presencial das aulas em universidades do RN está previsto para 2022

Ufersa e UFRN apontam a possibilidade de volta das aulas presenciais em 2022, já o IFRN pretende voltar de forma híbrida no mês de novembro

Por Rogério Magno em 22/09/2021 às 08:24:42

Sem aulas presenciais desde março de 2020, momento da chegada da pandemia do coronavírus, as atividades nas universidades públicas de ensino do Rio Grande do Norte vão continuar no formato remoto em 2021 e só retornarão de forma presencial em 2022, segundo apontam gestores e pró-reitores de graduações das três instituições federais de ensino do Estado.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) deverá iniciar o segundo semestre de 2021 no dia 18 de outubro e já definiu que as aulas serão no formato virtual. A diferença para os outros semestres é a oficialização da possibilidade de atividades práticas presenciais, "desde que garantidas as condições de biossegurança e observadas as normas relativas à emergência em saúde pública", disse o reitor José Daniel Diniz Melo em carta assinada no último dia 13 de setembro.

De acordo com a professora Maria das Vitórias Sá, pró-reitora de Graduação da UFRN, o atual semestre só deverá ser encerrado em fevereiro de 2022. Até lá, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) deverá se reunir e avaliar o retorno presencial no semestre 2022.1, previsto para começar em março do ano que vem.

"Neste próximo semestre, vamos continuar no formato remoto e as atividades práticas podendo ser realizadas de forma presencial. Ele se encerra 28 de fevereiro. Já em 2022.1, que se inicia em 28 de março, o Consepe vai avaliar as questões de biossegurança e podemos voltar. Mas não temos isso aprovado ainda", explica.

Segundo a coordenadora do Diretório Central de Estudantes da UFRN (DCE/UFRN), Letícia Corrêa, uma pesquisa foi feita com pouco mais de 3 mil estudantes da UFRN. Segundo ela, cerca de 70% deles estão vacinados com pelo menos uma dose.

"Óbvio que não gostamos do ensino remoto, é consenso. Os alunos têm rendimento baixo, tivemos evasão estudantil, com os alunos tendo dificuldade de acompanhar as aulas, mas ao mesmo tempo defendemos que o retorno presencial seja feito com qualidade, cuidado e que não coloque a vida de ninguém em risco", comenta, acrescentando ainda que defende um retorno gradual das atividades na UFRN.

O caso da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) é parecido. As aulas na instituição estão suspensas desde 17 de março de 2020. O pró-reitor de graduação da Ufersa, Sueldes de Araújo, aponta que o retorno está previsto para 17 de janeiro de 2022, de forma gradual. "Continuaremos tendo disciplinas no formato remoto. Cerca de 30 a 35% delas", cita.

"A data está fechada, caso não haja mudanças estruturais na pandemia. Já estamos preparando a universidade para receber os alunos em janeiro de 2022", acrescenta. Segundo ele, disciplinas e turmas com atividades práticas presenciais estão podendo funcionar.

Na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), o retorno até poderia acontecer em 2021, segundo o pró-reitor de ensino de graduação, Wendson Medeiros. No entanto, o aperto do calendário semestral, que se coincide com o fim de ano e período de férias fez com que a instituição adiasse o retorno presencial para janeiro. A UERN irá voltar com 100% dos alunos nas salas de aula.

"O semestre 2021.2 se inicia no final de novembro. Do dia 30 ao dia 06 é o planejamento. Daí até o dia 23 temos aulas, tem o recesso natalino e férias docentes. Em dezembro nosso público e alunos deverão estar vacinados com duas doses. Para garantirmos esse retorno seguro, em fevereiro quando voltarmos das férias, as aulas já voltam de forma presencial", cita.

Ainda de acordo com Wendson Medeiros, uma resolução foi publicada no último dia 09 de setembro estabelecendo que, mesmo com o retorno presencial, caso haja situações de o professor não conseguir ser imunizado "por motivo alheio a sua vontade", poderão ser desenvolvidas atividades remotas.

IFRN pode iniciar volta gradual em novembro

O Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) trabalha com a possibilidade de retornar às atividades presenciais nas primeiras semanas de novembro. A oficialização dessa medida depende de uma aprovação no Conselho Superior do IFRN (Consup), que se reunirá na próxima sexta-feira (24).

"A proposta que está nessa minuta e esperamos que não tenhamos grandes alterações é que voltemos no segundo semestre, primeira semana de novembro, em formato misto. Estabelecemos que vamos retornar com 30% até chegarmos em 100%", explica a diretora pedagógica do IFRN, Amélia Reis.

Ainda de acordo com Amélia Reis, a prioridade da instituição neste primeiro momento será para alunos e disciplinas com atividades práticas.

Estado e Natal

A Secretaria Estadual da Educação e Cultura autorizou, na última segunda-feira (20), o aumento do número de alunos nas aulas presenciais para até 60% da capacidade das escolas. De acordo com o secretário Getúlio Marques, a previsão é de que até 4 de outubro, a rede volte a funcionar com 100% da capacidade, de acordo com o calendário divulgado pela pasta. As aulas voltaram no final de julho na rede estadual.

Na rede municipal de Natal, as aulas estão acontecendo no formato híbrido desde o dia 14 de julho. De um total de 74 Centros Municipais de Ensino Infantil (CMEIs), 55 já retornaram presencialmente. Das 72 escolas, 50 já voltaram.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação (SME), o retorno nas salas de aula já está na casa dos 50% nos CMEIs, com o restante das turmas no formato não presencial. Já nas escolas, esse retorno está limitado a 30%, com um revezamento semanal entre os estudantes.

Fonte: Portal Agora RN

Comunicar erro
Jota Edilson

Comentários