Câncer de Próstata: diagnóstico precoce salva 95% dos pacientes

Segundo o Instituto do C├óncer, em 2023, a estimativa era de 1.450 novos casos da doença no Rio Grande do Norte

Por Rogerio Magno em 13/11/2023 às 19:10:23
Edvaldo Martiniano foi diagnosticado com câncer de próstata aos 54 anos

Edvaldo Martiniano foi diagnosticado com câncer de próstata aos 54 anos

"O que eu sabia era que o c├óncer matava, mas eu não tinha informações. Então, procurei logo um médico e, como era leigo, pedi ao doutor que fizesse a cirurgia", contou Edvaldo Martiniano, de 60 anos, logo após ser diagnosticado com c├óncer de próstata, em 2017 .

H├í um ano sem realizar nenhum tratamento, mas sendo acompanhado por um urologista, Edvaldo contou ao NOVO Not├şcias como descobriu a doença e destacou a import├óncia dos exames de rotina para o diagnóstico precoce.

Os resultados apontaram para a presença de c├óncer maligno ainda em est├ígio inicial. A descoberta foi importante para iniciar o tratamento precoce da doença. Isso aconteceu porque ele, desde 2014, j├í fazia o acompanhamento anual recomendado pela Organização Mundial da Sa├║de (OMS) aos homens para prevenção da doença.

"Nos tr├¬s primeiros anos que eu fiz como rotina, os exames j├í apresentaram alteração. Eu fiquei aperreado e fui buscar ajuda médica. Me indicaram para o Hospital Universit├írio Onofre Lopes, e l├í eu descobri a doença. O médico solicitou exames, foi feito o toque, mas sem um diagnóstico preciso. Uma nova bateria de procedimentos foi realizada até que o resultado final apontou para c├óncer maligno", conta.

Durante cinco anos, Edvaldo foi acompanhado pela Liga Contra o C├óncer de Natal. Realizou todos os procedimentos na unidade. Fez 38 sessões de radioterapia, porém, após refazer os exames ainda existiam riscos, com isso, ele foi submetido a outros métodos como a hormonioterapia – que funciona através da aplicação de injeções na região da barriga. Por causa do tratamento pesado, Edvaldo apresentou problemas de incontin├¬ncia urin├íria e nos ossos, mas também j├í est├í sendo tratado.

O aposentado conta que devido à intensidade no tratamento do c├óncer de próstata precisou deixar de trabalhar, o que acarretou dificuldades financeiras. Mas foi através de uma amiga que conheceu a ONG Onco e Vida, que atua de forma gratuita dando suporte a pessoas acometidas com a doença e que estão em situação de vulnerabilidade.

"No momento que a gente descobre essa doença a gente fica sem poder fazer in├║meras atividades. Tive que parar de trabalhar, então, tive problemas financeiros. Mas encontrei a Onco e Vida que me ajudou nessa fase, dando todo suporte pra mim. Foi através da ONG que tive todo suporte durante o tratamento até hoje", destacou Edvaldo.

Edvaldo destaca a import├óncia do acompanhamento anual e do diagnóstico precoce, que, para ele, fez total diferença no tratamento e cura.

"A confirmação do c├óncer de próstata assusta, traz medo, mas vi que existiam outras alternativas, que era poss├şvel continuar vivo. Posso dizer que o diagnóstico precoce salvou a minha vida. Se voc├¬ não se cuidar, não ter├í condições de viver, e eu quero viver muito tempo", ressalta Edvaldo.

De acordo com o Instituto Nacional de C├óncer (INCA), a estimativa para o ano de 2023 foi de 1.450 novos casos de c├óncer de próstata. Para os médicos, a busca por profissionais especialistas e a descoberta do diagnóstico precoce continua sendo a melhor alternativa.

Segundo os urologistas, dificuldade em urinar, sangue na urina, diminuição do jato urin├írio e dificuldade de manter a ereção são sinais de alerta para o c├óncer de próstata.

"A partir dos 45 anos os homens devem procurar o médico para fazer exames de rotina, como o PSA e o toque retal que podem contribuir com o diagnóstico precoce do c├óncer de próstata. J├í homens com histórico da doença em parentes de primeiro grau devem ter esses cuidados a partir dos 40 anos. Quando diagnosticado em est├ígio inicial, o c├óncer de próstata tem até 90% de chances de cura. Nessa fase, a doença pode não apresentar sintomas, por isso os exames de rotina são tão importantes", ressaltou a médica oncologista da Liga Contra o C├óncer, Sulene Cunha.

Cuidado voluntário

Buscando proporcionar cuidado e apoio em um dos momentos de maior vulnerabilidade, a Onco e Vida – entidade civil sem fins lucrativos – atende adultos e idosos em tratamento de c├óncer. Ao longo dos ├║ltimos oito anos, 334 pacientes foram assistidos pela organização de forma gratuita.

"A instituição oferece toda assist├¬ncia durante e após o tratamento, desde serviços: serviço social, fisioterapia, nutrição, psicologia, odontologia, assessoria jur├şdica, alfabetização, dança, artesanato, funcional e albergue diurno com café, almoço e lanche, bem como benef├şcios: medicamentos, cesta b├ísica, suplementos, exames", contou Michely Costa, coordenadora social da instituição.

O trabalho na instituição conta com 23 colaboradores. Para manter as atividades e apoio aos pacientes, a organização sem fins lucrativos conta com doações que são essenciais para dar continuidade aos tratamentos dos pacientes que não conseguem custear todos os procedimentos.

"A Onco e Vida inicou as suas atividades no Estado em março de 2015 e mantém-se apenas por doações. A entidade recebe todo e qualquer tipo de doação, assim, podemos amparar o m├íximo de pacientes poss├şveis", afirmou Michely.

Uma campanha de todos

Assim como no movimento do "Outubro Rosa", a intensificação dos cuidados, prevenção e diagnóstico precoce do c├óncer de próstata são temas importantes no "Novembro Azul". Além de campanhas dos órgãos p├║blicos, ongs e empres├írios se unem para propagar a import├óncia do cuidado por parte dos homens.

Em Natal, uma empres├íria do ramo de vestu├írio montou nas lojas um espaço dedicado à campanha. Nos estabelecimentos, os funcion├írios vestiram literalmente a camisa. Durante todos os dias, os clientes t├¬m acesso às camisetas e podem, de alguma forma, ajudar na propagação do cuidado.

"Como empres├íria e tendo duas empresas que apoiam movimentos sociais, achamos importante agir de forma consciente, tendo em vista que temos colaboradores e clientes que podem ser alertados e beneficiados pela campanha. Portanto, engajar-se e chegar junto no Novembro Azul é uma forma de demonstrar preocupação e cuidado com a sa├║de dos homens, promovendo uma cultura de prevenção e bem-estar dentro das empresas", disse Narcisa Costa.

Comunicar erro
Duxote

Comentários